quinta-feira, 26 de novembro de 2009

notícias de serviço social

Secretarias fazem blitz pelo fim da violência doméstica contra a mulher






Hoje, 25, é o Dia Internacional de Luta Contra a Violência sobre a Mulher. Várias ações são desenvolvidas em todo o Estado por movimentos sociais e poder público. Para alertar a população, a Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a de Promoção Humana e Desenvolvimento (SPHD), realiza agora pela manhã, uma blitz na frente da Catedral Cristo Redentor, centro da cidade, para entregar fitas brancas como um pedido de paz.






No estado, em 2007, foram registrados 2.393 casos de mulheres vítimas de algum tipo de violência. Em 2008, esse número subiu para 2.410 novos casos. Segundo o Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências, da Sesau, a Secretaria de Segurança Pública e Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, até agosto deste ano, o Estado tinha 1.077 novas vítimas. Os tipos de violência mais frequentes, registrados em Roraima são: lesão corporal, maus tratos e estupro.





A Sesau, por meio do Núcleo de Ações Programáticas de Saúde da Mulher, promove cursos de capacitação para preparar os servidores da saúde que recebem essas vítimas de violência. De acordo com a técnica do Núcleo, Nívea Aida, os servidores são capacitados para oferecer um melhor atendimento à paciente para que elas saibam para onde se dirigir. “A mulher pode procurar atendimento em qualquer unidade de saúde do Estado”, afirma.





No caso de estupros, elas devem ir à maternidade. E para verificar o estado clínico da vítima, ela passa pelo ambulatório médico, onde é feito exames ginecológicos. Para prevenir de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) é diagnosticado profilaxia medicamentosa e pílulas anticoncepcionais para evitar a gravidez indesejada.





Segundo Nívea, a paciente também é atendida no serviço da assistência psicológica, onde recebe um suporte emocional e é encaminhada ao atendimento psicoterápico ou psiquiátrico. No Serviço Social a paciente é acolhida e mantida em ambiente de segurança. Caso ela tenha ido à unidade por conta própria ela é orientada a fazer um boletim de ocorrência.





Pacto

Neste mês foi assinado o Pacto Estadual de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, com o objetivo de combater todas as formas de violência contra as mulheres, com ações integradas nas áreas de educação, trabalho, saúde, segurança pública e assistência social para serem executadas nos próximos quatro anos.





Segundo Nívea dentro do Centro de Referência de Enfrentamento de Violência Contra a Mulher funcionará a Delegacia da Mulher e o agressor também receberá atendimento psicológico. “Os homens devem receber o tratamento, porque geralmente as mulheres retornam a eles”, explica.





Disque 180


Em todo o país funciona o disque 180, serviço que funciona 24 horas para tirar qualquer tipo de dúvidas referentes a violência contra a mulher. A ligação é gratuita e qualquer caso de agressão pode ser denunciado.





"O pão do corpo é uma esmola pela qual sempre receberás a justa recompensa, mas o sorriso a migo é
uma benção para a eternidade" (Paulo de Tarso)

dicas de concurso: clique aqui
http://www.portalms.com.br/

bj,Elane!